Replay: Fiat 147

sexta-feira, 9 de Abril de 2010 08:09 Replay

Nu­ma épo­ca do­mi­na­da pe­lo Fus­ca, da Volkswa­gen, a Fi­at sa­cu­diu o mer­ca­do au­to­mo­bi­lís­ti­co bra­si­lei­ro em 1976, lan­çan­do o seu pri­mei­ro au­to­mó­vel pro­du­zi­do no Bra­sil. Ba­se­a­do num mo­de­lo ita­li­a­no, o Fi­at 147 mar­cou o iní­cio das ati­vi­da­des da fá­bri­ca de Be­tim, Mi­nas Ge­rais.

httpv://www.youtube.com/watch?v=JuD9Om8Gt_Y
Suspensão era inovadora para um carro de pequeno porte da época

Até ho­je, es­te car­ro é ama­do por uns e odi­a­do por ou­tros. Con­cor­ren­te di­re­to do Volkswa­gen Fus­ca, o Fi­at 147 apre­sen­ta­va me­lhor de­sem­pe­nho e con­su­mo. Po­rém, sua tec­no­lo­gia era mais com­ple­xa, mo­ti­vo que ge­rou es­pe­cu­la­ções ne­ga­ti­vas so­bre uma me­câ­ni­ca pro­ble­má­ti­ca.

httpv://www.youtube.com/watch?v=z6g013Fu18c
Baixo consumo era grande diferencial em relação ao concorrente Fusca

Ape­sar dis­so, é fa­to que o Fi­at 147 re­pre­sen­tou uma im­por­tan­te evo­lu­ção no se­tor au­to­mo­ti­vo da épo­ca, apre­sen­tan­do vá­ri­as ino­va­ções: pri­mei­ro car­ro com mo­tor trans­ver­sal di­an­tei­ro, pri­mei­ro car­ro a ál­co­ol fa­bri­ca­do em sé­rie em to­do o mun­do, pri­mei­ro car­ro com es­te­pe jun­to ao com­par­ti­men­to do mo­tor, pri­mei­ro car­ro de pe­que­no por­te com sus­pen­são in­de­pen­den­te tra­sei­ra, pri­mei­ro car­ro a uti­li­zar para-​choques de plás­ti­co po­li­pro­pi­le­no em lar­ga es­ca­la (mo­de­lo Eu­ro­pa, 1980).

Por­tan­to, sem dú­vi­da al­gu­ma, o Fi­at 147 re­pre­sen­tou um mar­co im­por­tan­te da in­dús­tria au­to­mo­bi­lís­ti­ca na­ci­o­nal.

, , , , , , ,

Faça seu comentário

Utilize o formulário abaixo ou comente via Facebook.

As opiniões expressas nos comentários são de responsabilidade exclusiva de seu(s) autor(es). Os comentários poderão ser apagados caso contenham ofensas, mensagens preconceituosas, de ódio ou que estejam em letras maiúsculas. Não há moderação de opinião, independente do posicionamento. O objetivo é favorecer o debate para que o mesmo seja o mais livre possível, dentro de um mínimo de bom senso. Leia as regras.

Confira alguns trabalhos do nosso Portfólio