Twitter pisa no tomate

quinta-feira, 14 de Maio de 2009 13:49 Cibercultura, Comunicação

To­dos de­vem ima­gi­nar que o Twit­ter es­tá so­fren­do mui­to com a ava­lan­che de no­vos usuá­ri­os e o gran­de flu­xo de men­sa­gens que são com­par­ti­lha­das a to­do ins­tan­te. Com o “bo­om” da fer­ra­men­ta, o vo­lu­me de trá­fe­go em seus ser­vi­do­res de­ve ter cres­ci­do pro­por­ci­o­nal­men­te ao vo­lu­me de no­vos usuá­ri­os. Por­tan­to, jun­to com o su­ces­so, che­ga­ram os pro­ble­mas.

Uma pro­vá­vel so­lu­ção, co­mo não po­de­ria dei­xar de ser, che­gou a ser es­pe­cu­la­da vá­ri­as ve­zes: o Go­o­gle, o gi­gan­te de­vo­ra­dor de no­vi­da­des da in­ter­net, com­prar o Twit­ter. Além de to­da a es­pe­cu­la­ção, tam­bém su­gi­ram bo­a­tos e “no­tí­ci­as” de que es­sa ne­go­ci­a­ção re­al­men­te foi con­cre­ti­za­da, de for­ma “se­cre­ta”, ou que en­vol­vi­am ci­fras bi­li­o­ná­ri­as. Po­rém, se o bo­a­to é ou não é ver­da­de, até ago­ra não li na­da ofi­ci­al a res­pei­to.

Com es­ses pro­ble­mas de ins­ta­bi­li­da­de e len­ti­dão nos ser­vi­do­res, a equi­pe do Twit­ter tem re­a­li­za­do “atu­a­li­za­ções” fre­quen­tes pa­ra ten­tar con­tor­nar es­sa si­tu­a­ção. Elas têm si­do anun­ci­a­das lo­go que o usuá­rio faz o seu lo­gin. Po­rém on­tem (13/​05/​2009), uma atu­a­li­za­ção ge­rou um gran­de mo­vi­men­to na tui­tos­fe­ra. Os re­pli­es, as res­pos­tas que são di­re­ci­o­na­das pa­ra ou­tros usuá­ri­os, so­fre­ram uma mo­di­fi­ca­ção em sua “ló­gi­ca”. Ago­ra, pe­lo que no­tei, quan­do eu aces­sar o pro­fi­le de um usuá­rio que si­go, só po­de­rei ver os re­pli­es que es­se usuá­rio ti­ver fei­to pa­ra ou­tras pes­so­as que eu tam­bém si­go, e não mais ver to­dos os re­pli­es que ele fez. Pa­re­ce con­fu­so, e é. Mas va­mos fa­zer um pe­que­no e sim­ples exer­cí­cio de ana­lo­gia pa­ra en­ten­der.

Imagine-​se em um lo­cal pú­bli­co con­ver­san­do com um ami­go seu. Ele se cha­ma João. Vo­cês dois es­tão lá e, de re­pen­te, che­gam dois ami­gos de­le. Vo­cê não co­nhe­ce es­sas pes­so­as, mas o seu ami­go João co­nhe­ce. Nis­so, João cum­pri­men­ta os ami­gos de­le, Mar­cos e Sa­ra, e co­me­ça a con­ver­sar com eles. Lo­go, co­mo vo­cê já es­ta­va ali pre­sen­te, irá ou­vir a con­ver­sa de­les e, cer­ta­men­te, irá co­nhe­cer es­sas pes­so­as e con­ver­sar com elas. Es­sa ló­gi­ca era a mes­ma ado­ta­da an­te­ri­or­men­te pe­lo Twit­ter.

Ago­ra, com a no­va mu­dan­ça que foi re­a­li­za­da on­tem, imagine-​se na mes­ma si­tu­a­ção com o seu ami­go João. Po­rém quan­do os ami­gos de­le, Mar­cos e Sa­ra, che­ga­rem, vo­cê não os ve­rá e nem os ou­vi­rá, as­sim co­mo tam­bém não ou­vi­rá na­da do que o seu ami­go João es­ta­rá con­ver­san­do com eles. Es­sa é, ago­ra, a ló­gi­ca que o Twit­ter ofe­re­ce pa­ra os seus usuá­ri­os.

Es­sa ati­tu­de do Twit­ter foi uma be­la pi­sa­da no to­ma­te. Acre­di­to que um dos prin­ci­pais fa­to­res pa­ra o su­ces­so da fer­ra­men­ta era es­sa fa­ci­li­da­de que as pes­so­as ti­nham pa­ra fa­zer con­ta­to com no­vas pes­so­as e po­der en­trar em qual­quer dis­cus­sões, con­ver­san­do com to­dos.

Acre­di­to que, por es­sa mu­dan­ça não se­guir os con­cei­tos ino­va­do­res de re­de so­ci­al e co­mu­ni­ca­ção que fo­ram apre­sen­ta­dos pe­lo Twit­ter, ela não irá vin­gar por mui­to tem­po. Ou, ca­so con­trá­rio, o Twit­ter per­de­rá a sua atra­ti­vi­da­de e, tal­vez, o seu su­ces­so não se­rá tão du­ra­dou­ro.

, , ,

Faça seu comentário

Utilize o formulário abaixo ou comente via Facebook.

As opiniões expressas nos comentários são de responsabilidade exclusiva de seu(s) autor(es). Os comentários poderão ser apagados caso contenham ofensas, mensagens preconceituosas, de ódio ou que estejam em letras maiúsculas. Não há moderação de opinião, independente do posicionamento. O objetivo é favorecer o debate para que o mesmo seja o mais livre possível, dentro de um mínimo de bom senso. Leia as regras.

Confira alguns trabalhos do nosso Portfólio