É Carnaval! Agora vai!

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009 13:33 Etc

Co­mo é de cos­tu­me, o Car­na­val é a da­ta extra-​oficial pa­ra o iní­cio “ofi­ci­al” do ano bra­si­lei­ro. É com mui­ta “ale­gria” que o po­vo – e con­su­mi­dor – co­me­ça to­do ano no­vo com mui­tos car­nês de con­tas di­vi­di­das em in­con­tá­veis pres­ta­ções. Ape­sar de to­da es­sa cri­se, es­se ano não po­de­ria ser di­fe­ren­te, mes­mo com to­da aque­la “con­ver­sa mo­le pra boi dor­mir” de que a cri­se che­ga­ria “fra­qui­nha” aqui no Bra­sil e não afe­ta­ria a nos­sa eco­no­mia. Sin­ce­ra­men­te, en­tre os bons ve­lhi­nhos eu ain­da pre­fi­ro acre­di­tar no Pa­pai No­el. E, te­nho cer­te­za de que não sou único.

Mes­mo com o 13º sa­lá­rio e com ren­das ex­tras que mui­tos tra­ba­lha­do­res con­quis­tam com o aque­ci­men­to do co­mér­cio com a che­ga­da do Na­tal – que no ano pas­sa­do co­me­çou em ou­tu­bro –, é ine­gá­vel que boa par­te des­se di­nhei­ro vol­ta pa­ra o pró­prio co­mér­cio. E, nor­mal­men­te, vol­ta pul­ve­ri­zan­do em for­ma de car­nês e fa­tu­ras de car­tões de crédito.

A si­tu­a­ção, por um la­do, é boa pa­ra o co­mér­cio e pa­ra os co­mer­ci­an­tes. Além do gran­de vo­lu­me de ven­das no fi­nal do ano, o co­me­ço do ano ga­ran­te, de cer­ta for­ma, o re­ce­bi­men­to das pres­ta­ções. Por ou­tro la­do, co­mo boa par­te dos con­su­mi­do­res tem di­nhei­ro ape­nas pa­ra pa­gar as pres­ta­ções e não pa­ra fa­zer no­vas com­pras, as ven­das ca­em. No efei­to do­mi­nó, o flu­xo de cai­xa fi­ca com­pro­me­ti­do já que o di­nhei­ro que es­tá en­tran­do com as pres­ta­ções dos cli­en­tes é des­ti­na­do, em boa par­te, pa­ra o pa­ga­men­to de for­ne­ce­do­res e fun­ci­o­ná­ri­os. As­sim, nem é ne­ces­sá­rio fa­zer uma aná­li­se econô­mi­ca e mer­ca­do­ló­gi­ca mais pro­fun­da e nem é pre­ci­so ser mui­to in­te­li­gen­te pa­ra en­ten­der por­que, to­do ano, nós bra­si­lei­ros e con­su­mi­do­res, co­me­ça­mos com do­res de cabeça.

Fo­ra es­sa cons­ta­ta­ção ób­via, pa­ra a mai­o­ria das pes­so­as, ja­nei­ro e fe­ve­rei­ro é tem­po de pa­gar con­tas. Não ape­nas os car­nês dos pre­sen­tes de fi­nal de ano, mas tam­bém as ma­trí­cu­las es­co­la­res, IPVA, re­no­va­ção de con­tra­tos e mais al­gu­mas que pre­fi­ro não enu­me­rar aqui pa­ra que vo­cê pos­sa con­ti­nu­ar len­do es­se tex­to sem pen­sar na hi­pó­te­se de suicídio.

O mês das “va­cas ma­gras” pas­sou e quem cho­rou, cho­rou. Não é ri­ma de en­re­do de es­co­la de sam­ba, mas até po­de­ria ser. Fe­ve­rei­ro che­gou e com ele che­ga o mo­men­to pa­ra a cur­va econô­mi­ca co­me­çar a as­cen­der no­va­men­te. Is­so sig­ni­fi­ca que aque­le di­nhei­ro que em ja­nei­ro foi des­ti­na­do a pa­gar con­tas, ago­ra po­de­rá ser uti­li­za­do pa­ra no­vos con­su­mos além dos es­sen­ci­ais e, ve­jam que iro­nia, tam­bém pa­ra fa­zer no­vas con­tas – lei­am car­nês. Po­rém, sa­be­mos que mui­tos bra­si­lei­ros con­ti­nu­a­rão des­ti­nan­do o seu di­nhei­ro pa­ra o pa­ga­men­to de con­tas con­traí­das no ano passado.

Ape­sar dos pon­tos ne­ga­ti­vos, com to­da es­sa si­tu­a­ção que foi cri­a­da ao lon­go dos anos, o Car­na­val aca­bou se tor­nan­do um mar­co sim­bó­li­co pa­ra o iní­cio anu­al do aque­ci­men­to econô­mi­co do país. Bas­ta per­gun­tar pa­ra os co­mer­ci­an­tes – que são o elo en­tre os pro­du­tos e os con­su­mi­do­res fi­nais – pa­ra que res­pon­dam que o ano, re­al­men­te, co­me­ça após o Car­na­val. Es­se jar­gão po­pu­lar aca­ba sen­do a mais pu­ra ver­da­de. Des­sa for­ma, de­ve­mos co­me­mo­rar o Car­na­val e es­pe­rar di­as me­lho­res após as festanças.

Co­mo diz o po­vão, ago­ra vai!

, , ,

Faça seu comentário

Utilize o formulário abaixo ou comente via Facebook.

As opiniões expressas nos comentários são de responsabilidade exclusiva de seu(s) autor(es). Os comentários poderão ser apagados caso contenham ofensas, mensagens preconceituosas, de ódio ou que estejam em letras maiúsculas. Não há moderação de opinião, independente do posicionamento. O objetivo é favorecer o debate para que o mesmo seja o mais livre possível, dentro de um mínimo de bom senso. Leia as regras.

Confira alguns trabalhos do nosso Portfólio