"Kill Lindemberg", o jogo

terça-feira, 11 de novembro de 2008 15:09 Jornalismo, Reflexão

Após a in­ten­sa re­per­cus­são em gran­de par­te dos veí­cu­los de co­mu­ni­ca­ção de mas­sa, o ca­so da ado­les­cen­te Eloá, que foi seqües­tra­da e mor­ta pe­lo ex-​namorado Lin­dem­berg, ga­nha no­vos ca­pí­tu­los a ca­da dia.

En­tre os as­sun­tos que es­tão na pau­ta, um dos prin­ci­pais é a dis­cus­são so­bre o es­cla­re­ci­men­to da for­ma co­mo foi re­a­li­za­da a in­ter­ven­ção da Po­lí­cia Mi­li­tar no des­fe­cho do seqües­tro, na qual ain­da exis­tem dú­vi­das se os po­li­ci­as in­va­di­ram o apar­ta­men­to após o jo­vem Lin­dem­berg efe­tu­ar os dis­pa­ros em su­as ví­ti­mas ou se os dis­pa­ros do cri­mi­no­so ocor­rem após os sol­da­dos ini­ci­a­rem a ação que, mais uma vez, te­ve um pés­si­mo resultado.

Além dis­so, tam­bém tem ge­ra­do po­le­mi­ca o fa­to do pai da ga­ro­ta Eloá ser fo­ra­gi­do da Jus­ti­ça do es­ta­do de Ala­go­as des­de 1993, por es­tar en­vol­vi­do com cri­mes de rou­bo de car­ga e no as­sas­si­na­to do de­le­ga­do Ri­car­do Les­sa, ir­mão do ex-​governador Ro­nal­do Les­sa. Ex-​integrante de uma gan­gue, em São Pau­lo uti­li­za­va no­me fal­so pa­ra se ocultar.

Ago­ra, mui­tos in­ter­nau­tas es­tão se­guin­do o em­ba­lo dos no­ti­ciá­ri­os e es­tão cri­an­do con­teú­dos re­la­ci­o­na­dos ao ca­so, co­mo es­se jogo:

Jogo "Kill Lindemberg", criado após repercussão da trágica morte de Eloá

Co­mo po­de­mos no­tar, trata-​se de um jo­go re­la­ti­va­men­te “ino­cen­te”. Po­rém, es­se ti­po de pro­du­ção de­mons­tra que os ca­sos trá­gi­cos que são am­pla­men­te di­vul­ga­dos nos mei­os de co­mu­ni­ca­ção, além de ge­rar a co­mo­ção do po­vo bra­si­lei­ro, tam­bém es­ti­mu­lam os sen­ti­men­tos de rai­va e de fú­ria, prin­ci­pal­men­te quan­do as pes­so­as sentem-​se im­po­ten­tes co­mo no des­fe­cho do ca­so da ado­les­cen­te Eloá, no qual a vi­da de uma jo­vem po­de­ria ter si­do pre­ser­va­da se hou­ves­se um pre­pa­ro me­lhor da Polícia.

, , , , ,

Faça seu comentário

Utilize o formulário abaixo ou comente via Facebook.

As opiniões expressas nos comentários são de responsabilidade exclusiva de seu(s) autor(es). Os comentários poderão ser apagados caso contenham ofensas, mensagens preconceituosas, de ódio ou que estejam em letras maiúsculas. Não há moderação de opinião, independente do posicionamento. O objetivo é favorecer o debate para que o mesmo seja o mais livre possível, dentro de um mínimo de bom senso. Leia as regras.

Confira alguns trabalhos do nosso Portfólio