A mídia podre

quinta-feira, 6 de novembro de 2008 18:03 Comunicação, Reflexão

Em todo o mundo ocorre uma intensa discussão sobre as influências que são proporcionadas pela mídia televisiva na formação da personalidade das pessoas. Esse debate é alimentado pelo bombardeio de programas de baixa qualidade informativa, cultural e educacional ao qual nós, telespectadores, temos acesso e acabamos sendo expostos.

A televisão é como a invenção dos sanitários dentro de casa. Ela não mudou os hábitos das pessoas. Ela apenas as manteve dentro da casa.

Alfred Hitchcock


Apresentadora Carla Perez: i de "iscola"

Podemos notar que, praticamente, inexiste um controle real por parte dos órgãos competentes sobre o conteúdo veiculado pelas emissoras. Assim, apesar de sabermos que os direitos para que um canal de TV entre em operação são concedidos pelo governo “com a finalidade de promover a cultura e a educação”, notamos que muitos programas televisivos têm seus conteúdos relacionados à violência, a divergência social, a apelos sexuais e as drogas. E, no atual cenário, percebemos que, a cada dia, o volume tem sido ampliado, não havendo bom-senso das emissoras em preservar seus telespectadores – que são os seus verdadeiros clientes –, que acabam sendo “vitimados” com toda essa vulgarização de valores.


Sabrina Sato leva picada de escorpião em quadro do programa Pânico na TV

Apesar das pessoas terem o “poder” e as condições para escolher o que querem ou não assistir, se fizermos uma comparação entre os programas que estão sendo transmitidos em vários canais em determinados horários, constataremos que os telespectadores acabam enfrentando um grande dilema, encontrando pouquíssimas – e raras – opções que realmente contribuem com conteúdos benéficos e de qualidade.

Conhecendo essa realidade, muitas pessoas que tem melhores condições de acesso à informação por outros meios, como jornais, revistas e internet, em muitos casos, acabam colocando a televisão em segundo plano – ou, até mesmo, excluindo-a como fonte de informação. E, sem dúvidas, essa postura tem sido adotada por muitos telespectadores devido a essa característica atual das emissoras de serem porta-vozes da desinformação, abrindo cada vez mais espaço em sua grade de programação para conteúdos de baixa qualidade e oferecendo mínimas opções de programas que realmente contribuem para a valorização da educação e da formação de cidadãos conscientes e bem informados.

, , , , , , ,

Faça seu comentário

Utilize o formulário abaixo ou comente via Facebook.

As opiniões expressas nos comentários são de responsabilidade exclusiva de seu(s) autor(es). Os comentários poderão ser apagados caso contenham ofensas, mensagens preconceituosas, de ódio ou que estejam em letras maiúsculas. Não há moderação de opinião, independente do posicionamento. O objetivo é favorecer o debate para que o mesmo seja o mais livre possível, dentro de um mínimo de bom senso. Leia as regras.

Confira alguns trabalhos do nosso Portfólio