Propaganda enganosa

terça-feira, 4 de novembro de 2008 13:49 Propaganda

No Bra­sil, é co­mum ocor­rer dis­cus­sões so­bre pro­pa­gan­das que, sem es­crú­pu­los, apre­sen­tam men­ti­ras so­bre pro­du­tos com a in­ten­ção cla­ra de en­ga­nar os con­su­mi­do­res. Nor­mal­men­te, a es­tra­té­gia é exal­tar e va­lo­ri­zar os atri­bu­tos co­mo se fos­sem su­per van­ta­gens e di­fe­ren­ci­ais, vi­san­do as­sim con­quis­tar um pa­ta­mar de gran­de­za e su­pe­ri­o­ri­da­de que, em gran­de par­te, não se com­pro­vam após o cli­en­te efe­tu­ar a aqui­si­ção do produto.

Além da fal­ta de éti­ca que mui­tas em­pre­sas têm em re­la­ção aos seus cli­en­tes, os pro­ble­mas não pa­ram por ai. Ape­sar da exis­tên­cia do Có­di­go de Di­rei­to do Con­su­mi­dor e do Pro­con, que “ga­ran­tem” a pro­te­ção dos con­su­mi­do­res, são ra­ros os ca­sos em que o con­su­mi­do­res pre­ju­di­ca­dos con­se­guem fa­zer pre­va­le­cer os seus di­rei­tos sem ter uma gran­de dor de ca­be­ça. Nor­mal­men­te, is­so acon­te­ce por­que as pró­pri­as or­ga­ni­za­ções des­co­nhe­cem ou não se im­por­tam com os di­rei­tos de seus clientes.

E, pa­ra pi­o­rar, ge­ral­men­te, ain­da to­mam uma pos­tu­ra de en­ca­rar es­ses con­su­mi­do­res co­mo ini­mi­gos ou in­vés de com­pre­en­der que seus ne­gó­ci­os só exis­tem e es­tão no mer­ca­do gra­ças à eles.

As­sim, é pre­ci­so pres­tar mui­ta aten­ção quan­do ao ser ex­pos­to a um de­ter­mi­na­do pro­du­to que se apre­sen­ta co­mo a me­lhor so­lu­ção do mun­do pa­ra re­sol­ver al­gum pro­ble­ma. É co­mo uma gran­de co­bra, a qual é pre­ci­so es­tar com os olhos bem aber­tos pa­ra evi­tar qual­quer transtorno.

, , , , , ,

Faça seu comentário

Utilize o formulário abaixo ou comente via Facebook.

As opiniões expressas nos comentários são de responsabilidade exclusiva de seu(s) autor(es). Os comentários poderão ser apagados caso contenham ofensas, mensagens preconceituosas, de ódio ou que estejam em letras maiúsculas. Não há moderação de opinião, independente do posicionamento. O objetivo é favorecer o debate para que o mesmo seja o mais livre possível, dentro de um mínimo de bom senso. Leia as regras.

Confira alguns trabalhos do nosso Portfólio