Fugindo do arroz com feijão

Pa­ra ino­var é pre­ci­so apos­tar em op­ções di­fe­ren­tes das tra­di­ci­o­nais

quinta-feira, 4 de setembro de 2008 09:42 Propaganda

Atu­al­men­te, com a gran­de con­cor­rên­cia pe­los es­pa­ços pu­bli­ci­tá­ri­os nas mí­di­as tra­di­ci­o­nais, é ne­ces­sá­rio que as em­pre­sas se cons­ci­en­ti­zem de que é im­por­tan­te bus­car no­vas al­ter­na­ti­vas pa­ra a co­mu­ni­ca­ção.

Por exem­plo, po­de ser um gran­de er­ro ado­tar a tá­ti­ca de pu­bli­car um anún­cio nu­ma dis­pu­ta por um “lu­gar ao sol” com ou­tros anun­ci­an­tes num veí­cu­lo car­re­ga­do, co­mo na edi­ção de do­min­go de um jor­nal, nu­ma re­vis­ta, por­tal de in­ter­net, etc. É co­mum ou­vir­mos his­tó­ri­as de que con­cor­ren­tes di­re­tos fo­ram pu­bli­ca­dos “la­do a la­do”, ou bem pró­xi­mos, o que aca­bou ge­ran­do um mal-​estar en­tre as em­pre­sas e o veí­cu­lo de co­mu­ni­ca­ção. Mes­mo co­nhe­cen­do es­se ti­po de pro­ble­ma, há di­fi­cul­da­de pa­ra pro­mo­ver as mu­dan­ças de pos­tu­ra jun­to aos anun­ci­an­tes.

Ape­sar das no­vi­da­des que são freqüen­tes no mer­ca­do pu­bli­ci­tá­rio, tan­to nas mí­di­as di­gi­tais co­mo nas tra­di­ci­o­nais, no Bra­sil, vei­cu­lar uma cam­pa­nha de co­mu­ni­ca­ção é uma ta­re­fa “sim­ples”, já que gran­de par­te das em­pre­sas – subentenda-​se em­pre­sá­ri­os e ges­to­res – ado­tam uma pos­tu­ra lei­ga e sem aná­li­se téc­ni­ca no mo­men­to de fa­zer a es­co­lha dos veí­cu­los, par­tin­do pa­ra a mes­ma “so­lu­ção” de sem­pre, mes­mo quan­do as­ses­so­ra­das por um pro­fis­si­o­nal de co­mu­ni­ca­ção ou por uma agên­cia. Aca­ba sen­do “prá­ti­co” de­sen­vol­ver as cam­pa­nhas, já que se li­mi­tam a um pro­ces­so sis­te­má­ti­co e bá­si­co, co­mo se­guir uma re­cei­ta de bo­lo.

Fi­car só no “ar­roz com fei­jão” não pro­mo­ve­rá a ima­gem e as ven­das. Pa­ra con­quis­tar no­vos cli­en­tes é pre­ci­so di­ri­gir a co­mu­ni­ca­ção pa­ra fa­lar com pes­so­as di­fe­ren­tes, pes­so­as que ain­da não ti­ve­ram con­ta­to com a em­pre­sa. Por­tan­to, é pre­ci­so dar cré­di­to pa­ra as mí­di­as al­ter­na­ti­vas e os veí­cu­los de co­mu­ni­ca­ção que es­tão pre­sen­tes no mer­ca­do. Só as­sim os re­sul­ta­dos po­de­rão ser di­fe­ren­tes e, cer­ta­men­te, am­pli­a­dos.

, , , , ,

Faça seu comentário

Utilize o formulário abaixo ou comente via Facebook.

As opiniões expressas nos comentários são de responsabilidade exclusiva de seu(s) autor(es). Os comentários poderão ser apagados caso contenham ofensas, mensagens preconceituosas, de ódio ou que estejam em letras maiúsculas. Não há moderação de opinião, independente do posicionamento. O objetivo é favorecer o debate para que o mesmo seja o mais livre possível, dentro de um mínimo de bom senso. Leia as regras.

Confira alguns trabalhos do nosso Portfólio